y_iQTHpcL2aPfLTjWpDYVCgxr2k
English plantillas curriculums vitae French cartas de amistad German documental Spain cartas de presentación Italian xo Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Seja grato ao Senhor


Creio que todos nós falhamos em algo que é muito importante na nossa caminhada cristã: a gratidão!
Foi Charles Haddon Spurgeon, conhecido como o “príncipe dos pregadores” que disse certa vez: “Todos os dias recebemos um continente de misericórdias, e só devolvemos uma pequena ilha de louvores”.
Não louvamos ao Senhor de modo digno, proporcional, intenso quanto Suas bênçãos são derramadas sobre nossas vidas.
Creio que hoje em dia oramos muito pouco, e louvamos menos ainda. Não estou falando daqueles louvores que expressamos um dia por semana na igreja. Estou falando daqueles períodos de louvor que deveríamos ter constantemente em nossos períodos devocionais.
Multidões de pessoas oram diariamente por suas enfermidades ou necessidades, mas são poucos os que quando saram ou são atendidos tiram um tempo para agradecer. Seus lábios e seu coração parecem que se fecharam para a gratidão e o louvor.
Há uma passagem nas Escrituras que ilustram muito bem isso:

 “De caminho para Jerusalém, passava Jesus pelo meio de Samaria e da Galiléia. Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós! Ao vê-los, disse-lhes Jesus: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu que, indo eles, foram purificados. Um dos dez, vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz, e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe; e este era samaritano. Então, Jesus lhe perguntou: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou.” (Lucas 17:11-19).

Você reparou na pergunta que Jesus fez no versículo dezoito? Leia novamente: 

“Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?” 

Dos dez leprosos, apenas UM voltou para agradecer pelo milagre recebido.
Perceba que essa história ilustra muito bem algo que acontece muito hoje em dia também: mais pessoas obedecem a um ritual do que as que louvam a Cristo.
Quando Jesus disse aos leprosos: “Vão mostrar-se aos sacerdotes”, lá foram eles, todos os dez; nenhum ficou esperando. Mas somente um deles voltou para contemplar o Salvador pessoal, e louvar o Seu nome.
Hoje muitos de nós podemos frequentar uma igreja, uma capela, ler um livro cristão, cumprir um “ato religioso” exterior. Mas quão pouco louvor a Deus é dedicado, quão pouco tempo diante de Seus pés passamos adorando-O; quão poucos louvores espontâneos de gratidão saem de nossos corações e de nossos lábios por tudo que Cristo realiza em nossas vidas!
Aquele único estrangeiro que voltou fazia parte de um grupo de dez pessoas quando era leproso, mas decidiu sozinho voltar para louvar a Deus quando percebeu o tamanho do milagre que tinha recebido.
Esse homem abandonou a companhia dos outros nove, e voltou para adorar Jesus Cristo! O melhor louvor é aquele que é marcado pela individualidade!
Você também pode deixar hoje de pertencer à lista daqueles que não se voltam para louvar a Deus. Você não precisa esperar que ninguém comece a louvar a Deus. Faça-o você mesmo!
Não espere pelo seu pai ou pela sua mãe, nem pelo seu esposo ou pela sua esposa para começar a louvar a Deus. Não fique a mercê de um ministro de louvor ou de um pastor que te convide a louvar a Deus. Louve-O agora, aí onde você está!
Não! Você não precisa ligar o rádio ou colocar alguma música de adoração agora. Isso tudo é válido, mas agora, apenas volte-se para Deus e renda-lhe o seu melhor louvor! Creio que se você pensar bem terá motivos mais que suficientes para fazer isso. Cante, adore, dance, se prostre, faça do jeito que se sentir melhor, mas adore ao Senhor na beleza da Sua Majestade!
 Que o seu coração possa arder com um amor adorador!
------------
Texto de Autoria de Pr. Sérgio Müller

Seja o primeiro a comentar:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...