Pular para o conteúdo principal

Ter razão não traz felicidade



Certa vez, um casal foi convidado para jantar na casa de amigos. Como não conheciam o local, a esposa levou um mapa, se incumbindo de indicar ao marido o caminho certo.
Chegando a determinado ponto do caminho, já um pouco atrasados, a esposa disse ao marido para virar a esquerda. Ele relutou firmemente:
_ Com certeza não é a esquerda, conheço essa parte do caminho e é para a direita.
A mulher insistiu, mas o marido começou a se exaltar, então ela ficou em silêncio.
Ao virar para a direita, porém, o marido percebeu que entrou no caminho errado e teve que fazer um longo retorno. Então ele disse:
_ Você tinha razão, o caminho era mesmo para a esquerda. Porque você não insistiu e me mostrou o caminho correto?
Ela então disse:
_ Eu poderia ter insistido, mas você estava ficando aborrecido e acabaríamos discutindo por uma coisa banal e destruindo nossa noite, que mal começou. Entre ter razão e ser feliz, eu prefiro ser feliz.

Hoje em dia percebemos que as pessoas dão mais valor a ter razão do que a ser feliz. As pessoas passam por cima de valores, sentimentos, respeito e tantas outras questões importantes, única e exclusivamente para ter razão.
É preciso entender que ninguém é melhor do que ninguém e cada um tem o seu tempo de crescimento e aprendizado. De que serve ensinar a uma criança de 07 anos uma equação de 2º grau? Ela não entenderá, pois ainda não evoluiu o suficiente nos estudos da matemática, para compreender questões mais complexas.
Assim ocorre na vida, algumas vezes as pessoas não tem o crescimento espiritual ou intelectual necessário para entender determinadas questões que nós já somos capazes de compreender.
Não se trata, portanto, de mérito para o que entende e demérito para o que não entende, pois uma coisa depende da outra, já que para alcançar o entendimento é necessário evoluir, crescer pouco a pouco.
Em outras palavras, muito embora um adolescente seja capaz de compreender uma equação de 2º grau, para chegar a essa fase ele teve que passar pelos ensinamentos de criança. Logo, ele não é mais evoluído ou mais inteligente que uma criança, apenas está se inserindo em estudos mais aprofundados, os quais seria incapaz de compreender sem os ensinamentos de criança.
Portanto, não devemos impor nossa verdade aos outros. Se temos conhecimento de algo devemos ensinar aos demais, pois conhecimento não compartilhado, não é conhecimento. Mas é preciso respeitar o nível de aprendizado de cada um. De nada serve ensinar algo de forma agressiva, ofendendo princípios alheios. O único resultado desse tipo de conduta é confusão, mágoa e tristeza.

Em Gálatas 5:20 a bíblia nos mostra que estão entre as obras da carne a porfia, emulação, ira, peleja, dissenssão e heresia. De acordo com a bíblia, portanto, esses erros são inerentes a condição humana, ou seja, é natural do homem querer impor sua própria verdade sobre os demais.
Porém essa mesma bíblia nos ensina a não andar na carne, ou seja, de acordo com os instintos naturais humanos, mas sim de acordo com o Espírito de Deus.
Então, se você conhece, entende ou crê em algo, não é necessário impor a sua verdade aos demais. Esse tipo de conduta pertence aqueles que não acreditam no que dizem e então precisam de todas as formas convencer os que estão ao seu redor, a fim de convencerem a si mesmos.
 Aquele que realmente tem razão não precisa obrigar os outros a aceitar e acreditar em seus ensinamentos. Aquele que realmente tem razão, sabe respeitar o tempo do próximo, os princípios e os sentimentos do próximo, pois, um dia, ele também não tinha entendimento das verdades que hoje conhece.
Respeite, mesmo que não concorde com algo, respeite e ame. (Clique aqui para ler o artigo O cristão deve ser tolerante?).
Afinal, de que serve ter razão, defender seu ponto de vista ao extremo, passar por cima de tudo e de todos e no fim, acabar sozinho?
Melhor é crescer junto e desfrutar da felicidade que Deus nos dá.
 Lembre-se que Deus conhece todas as coisas e nem por isso Ele nos esmaga com seu conhecimento, antes, respeita nossa capacidade de compreensão (Clique aqui para ler o artigo Deus é diferente).
Que possamos aprender a respeitar a capacidade de compreensão dos nossos semelhantes e assim, agregarmos um precioso conhecimento a nossa vida: paciência.

Comentários

  1. Olá Luciana!
    Sábio comportamento!, penso que para tudo na vida deve-se estar sempre afinado com o bom senso e a sensatez.
    Um abração!

    ResponderExcluir
  2. A paz do Senhor José David, muito obrigada pela visita e pelo comentário. Que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  3. que lindo isso é a pura verdade muitas veses ja magoei muta gente por querer ter a rasao

    ResponderExcluir
  4. que lindo isso é a pura verdade muitas veses ja magoei muta gente por querer ter a rasao

    ResponderExcluir
  5. A paz do Senhor Cleice, de fato todos nós acabamos magoando alguém amado em algum momento por querer ter razão. Mas o primeiro passo para acertar é reconhecer os próprios erros. Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  6. era tudo oque eu precisava neste momento.me serviu direitinho.

    ResponderExcluir
  7. Amém, ficamos felizes em saber que Deus falou com você. Muito obrigada pela visita e pelo comentário, Deus te abençoe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário