y_iQTHpcL2aPfLTjWpDYVCgxr2k
English plantillas curriculums vitae French cartas de amistad German documental Spain cartas de presentación Italian xo Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Deus entende


Grande é o nosso Soberano e tremendo é o seu poder, é impossível medir o seu entendimento. Sl 147:5

Eu não creio que falo com muita eloquência, e talvez você não ache que sua maneira de se comunicar seja muito sofisticada também. Já não me preocupo mais com a maneira como me expresso quando falo com Deus; simplesmente digo ao Senhor o que está no meu coração - e digo exatamente o que é - de maneira clara, simples e direta. 
Essa é a maneira como falo com meu marido; essa é a maneira como falo com meus filhos; essa é a maneira como falo com as pessoas com quem trabalho; então, essa é a maneira como falo com Deus e essa é a maneira como Ele fala comigo. 
Não tento impressioná-lo, apenas tento compartilhar o que está no meu coração com Ele - e posso fazer isso melhor quando estou simplesmente sendo eu mesma.

Deus nos fez do jeito que somos, então precisamos nos aproximar Dele sem fingimento e sem achar que temos de nos expressar de certa maneira para que Ele nos ouça. 
Desde que sejamos sinceros, Ele ouvi-rá. Ainda que o que esteja no nosso coração não possa ser traduzido, mesmo assim Ele ouve e entende o que é. 
Um coração voltado para Ele é precioso aos Seus olhos e Ele ouve até as palavras que não podem ser pronunciadas. 
Ás vezes estamos sofrendo demais para orar e tudo que podemos fazer é suspirar e gemer - e Deus entende até isso. 
Você pode ser consolado hoje sabendo que Deus entende e ouve tudo que você diz a Ele. (Clique aqui para ler o artigo Deus sempre ouve a sua oração)

A PALAVRA DE DEUS PARA VOCÊ HOJE: Deus ama a autenticidade; quando você orar, seja você mesmo. (Clique aqui para ler o artigo Liberte-se dos estereótipos sociais)
--------
Texto de Autoria de Joyce Meyer
Extraído do Livro Ouvindo Deus a cada manhã 365 devocionais diários

Liberte-se dos estereótipos sociais

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Jo 6:32

Já percebeu que todos nós temos uma imagem bem quadradinha, bem certinha de quais os tipos de comportamento são adequados para cada tipo de pessoa?
Quando pensamos em um professor, imaginamos que ele deve ser inteligente, sério, com relativo senso de humor, mas sem ser dado a comportamentos excessivos, como baladas, bebidas etc.
Quando pensamos em um padre, logo imaginamos que ele não pode beber, falar determinados tipos de frases ou gostar desse ou daquele programa de TV.
Se pensarmos em um juiz de direito, ele deverá ser inteligente, sério e excessivamente formal, e de poucas palavras.
É difícil concebermos um pastor, por exemplo, que seja irreverente, divertido...
No entanto, todos estes estereótipos castradores tem um único objetivo: aprisionar, controlar.
Já reparou nas igrejas como é comum encontrarmos pessoas dizendo que devemos agir assim ou assado, que falar isso ou aquilo é pecado, que podemos comer isso ou aquilo, senão é pecado?
Pois é, esse tipo de comportamento nada mais é do que uma necessidade de controle que certas pessoas tem. Há pessoas que não possuem autocontrole e, em razão disso, precisam se esconder em ambientes castradores, cheios de regras impositivas para evitar que se percam totalmente em uma vida desregrada.
Então quanto mais e mais regras melhor e, para que tais regras possuam um real poder de controle, é necessário impô-las também a outras pessoas.
Esse dilema não é novidade.
Já na igreja de Coríntios Paulo passou por muitas lutas, tentando evitar que irmãos se digladiassem entre si e perdessem o principal foco, que era o evangelho de Jesus.
As brigas e imposições estavam em todos os temas: roupas e corte de cabelo feminino, comer este ou aquele tipo de comida, horário de oração, quem lideraria a igreja etc.
Pois é, há muito tempo o ser humano não sabe lidar com a própria liberdade.
Isso porque a liberdade traz responsabilidades. A escolha traz consequências. (Clique aqui para ler o artigo Nós somos responsáveis por nossas escolhas)
Mas o que as pessoas precisam entender é que Jesus veio para que tivéssemos vida em abundância. Ele quer que sejamos livres e não rodeados por regras e estereótipos.
Quer que sejamos autênticos. (Clique aqui para ler o artigo Deus entende)
Deus não espera que estejamos sempre certos, Ele conhece nossas limitações.
Ele também não espera que sejamos perfeitos e jamais cobraria isso de nós. Ele conhece nossas limitações.
Não é a sua roupa, seu modo de falar ou o que você come que irá determinar quem você é, mas sim o seu coração.
Todos nós tomamos atitudes impensadas.
Todos nós fazemos escolhas erradas.
Isso faz parte da vida.
Deus não deseja que permaneçamos no erro, pelo contrário. Ele quer que cresçamos e amadureçamos.
Mas isso tem que acontecer de forma genuína e não porque estamos limitados por uma série infindável de regras.
Isso é covardia!
Deus quer que sejamos ousados, que nos arrisquemos. É possível que com isso erros aconteçam, mas a cada queda Ele nos ajudará a levantar e seguir adiante.
Em outras palavras, pessoas que ficam enclausuradas em uma prisão de regras são covardes e não há qualquer mudança espiritual nelas. Elas apenas evitam o erro ou pecado porque são obrigadas, e não porque tenham passado por uma real mudança. (Clique aqui para ler o artigo Onde estão os teus talentos)
Portanto, meu caro, se quiser experimentar o melhor de Deus saia dessa bolha que te aprisiona. Jesus veio e cumpriu toda a lei, que até então nenhum homem poderia cumprir e por conta do sacrifício dele na cruz hoje todos nós somos livres para nos aproximarmos do trono da graça de Deus.
Então não tenha medo de ser quem você é.
Assuma suas vontades, seus anseios e expectativas. Só assim estará aberto para uma real mudança e crescimento espiritual.
Já ouviu que o primeiro passo para solucionar um problema é reconhecer que ele existe?
Pois bem, é exatamente isso.
Já imaginou como o mundo seria se todos começassem a assumir a sua verdadeira natureza, se submetendo apenas a vontade de Deus e não mais a regras tolas e estereótipos sociais?
Seria maravilhosa a mudança que Deus operaria em nós.
Então por que não?
Por que não mudarmos? Afinal se queremos mudar o mundo, é importante que comecemos mudando nosso próprio mundo.
Que tal mudar seus paradigmas agora? Que tal parar de rotular as pessoas? Que tal parar de impor limites a si próprio e aqueles que nos rodeiam?
Liberte-se.
Erre. Conserte. Acerte. Erre de novo... é um ciclo.
Lembre-se: você não é perfeito. Ninguém é. Você não tem obrigação de acertar o tempo todo.
E que tal parar com esse jogo de gato e rato com aqueles que nos rodeiam? Apontamos o erro dos outros, porque não queremos ver os nossos próprios erros. Afinal, é bem mais fácil cuidar do problema alheio, pois não possuímos qualquer responsabilidade ou envolvimento emocional. (Clique aqui para ler o artigo Seja Livre).
Já quando o calo é no nosso pé...
Está na hora de amadurecermos. Assumirmos quem realmente somos, com qualidades e defeitos, para só então ter um relacionamento puro e verdadeiro com Deus.

Seja grato ao Senhor


Creio que todos nós falhamos em algo que é muito importante na nossa caminhada cristã: a gratidão!
Foi Charles Haddon Spurgeon, conhecido como o “príncipe dos pregadores” que disse certa vez: “Todos os dias recebemos um continente de misericórdias, e só devolvemos uma pequena ilha de louvores”.
Não louvamos ao Senhor de modo digno, proporcional, intenso quanto Suas bênçãos são derramadas sobre nossas vidas.
Creio que hoje em dia oramos muito pouco, e louvamos menos ainda. Não estou falando daqueles louvores que expressamos um dia por semana na igreja. Estou falando daqueles períodos de louvor que deveríamos ter constantemente em nossos períodos devocionais.
Multidões de pessoas oram diariamente por suas enfermidades ou necessidades, mas são poucos os que quando saram ou são atendidos tiram um tempo para agradecer. Seus lábios e seu coração parecem que se fecharam para a gratidão e o louvor.
Há uma passagem nas Escrituras que ilustram muito bem isso:

 “De caminho para Jerusalém, passava Jesus pelo meio de Samaria e da Galiléia. Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós! Ao vê-los, disse-lhes Jesus: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu que, indo eles, foram purificados. Um dos dez, vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz, e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe; e este era samaritano. Então, Jesus lhe perguntou: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou.” (Lucas 17:11-19).

Você reparou na pergunta que Jesus fez no versículo dezoito? Leia novamente: 

“Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?” 

Dos dez leprosos, apenas UM voltou para agradecer pelo milagre recebido.
Perceba que essa história ilustra muito bem algo que acontece muito hoje em dia também: mais pessoas obedecem a um ritual do que as que louvam a Cristo.
Quando Jesus disse aos leprosos: “Vão mostrar-se aos sacerdotes”, lá foram eles, todos os dez; nenhum ficou esperando. Mas somente um deles voltou para contemplar o Salvador pessoal, e louvar o Seu nome.
Hoje muitos de nós podemos frequentar uma igreja, uma capela, ler um livro cristão, cumprir um “ato religioso” exterior. Mas quão pouco louvor a Deus é dedicado, quão pouco tempo diante de Seus pés passamos adorando-O; quão poucos louvores espontâneos de gratidão saem de nossos corações e de nossos lábios por tudo que Cristo realiza em nossas vidas!
Aquele único estrangeiro que voltou fazia parte de um grupo de dez pessoas quando era leproso, mas decidiu sozinho voltar para louvar a Deus quando percebeu o tamanho do milagre que tinha recebido.
Esse homem abandonou a companhia dos outros nove, e voltou para adorar Jesus Cristo! O melhor louvor é aquele que é marcado pela individualidade!
Você também pode deixar hoje de pertencer à lista daqueles que não se voltam para louvar a Deus. Você não precisa esperar que ninguém comece a louvar a Deus. Faça-o você mesmo!
Não espere pelo seu pai ou pela sua mãe, nem pelo seu esposo ou pela sua esposa para começar a louvar a Deus. Não fique a mercê de um ministro de louvor ou de um pastor que te convide a louvar a Deus. Louve-O agora, aí onde você está!
Não! Você não precisa ligar o rádio ou colocar alguma música de adoração agora. Isso tudo é válido, mas agora, apenas volte-se para Deus e renda-lhe o seu melhor louvor! Creio que se você pensar bem terá motivos mais que suficientes para fazer isso. Cante, adore, dance, se prostre, faça do jeito que se sentir melhor, mas adore ao Senhor na beleza da Sua Majestade!
 Que o seu coração possa arder com um amor adorador!
------------
Texto de Autoria de Pr. Sérgio Müller

Alimentando o espírito: Salmo 88




SENHOR Deus da minha salvação, diante de ti tenho clamado de dia e de noite.
Chegue a minha oração perante a tua face, inclina os teus ouvidos ao meu clamor;
Porque a minha alma está cheia de angústia, e a minha vida se aproxima da sepultura.
Estou contado com aqueles que descem ao abismo; estou como homem sem forças,
Livre entre os mortos, como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais te não lembras mais, e estão cortados da tua mão.
Puseste-me no abismo mais profundo, em trevas e nas profundezas.
Sobre mim pesa o teu furor; tu me afligiste com todas as tuas ondas. (Selá.)
Alongaste de mim os meus conhecidos, puseste-me em extrema abominação para com eles. Estou fechado, e não posso sair.
A minha vista desmaia por causa da aflição. Senhor, tenho clamado a ti todo o dia, tenho estendido para ti as minhas mãos.
Mostrarás, tu, maravilhas aos mortos, ou os mortos se levantarão e te louvarão? (Selá.)
Será anunciada a tua benignidade na sepultura, ou a tua fidelidade na perdição?
Saber-se-ão as tuas maravilhas nas trevas, e a tua justiça na terra do esquecimento?
Eu, porém, Senhor, tenho clamado a ti, e de madrugada te esperará a minha oração.
Senhor, porque rejeitas a minha alma? Por que escondes de mim a tua face?
Estou aflito, e prestes tenho estado a morrer desde a minha mocidade; enquanto sofro os teus terrores, estou perturbado.
A tua ardente indignação sobre mim vai passando; os teus terrores me têm retalhado.
Eles me rodeiam todo o dia como água; eles juntos me sitiam.
Desviaste para longe de mim amigos e companheiros, e os meus conhecidos estão em trevas.
Salmos 88:1-18

Louve ao Senhor: Conquistando o Impossível



Conquistando o Impossível
Jamily
  
Acredite, é hora de vencer
Essa força vem
De dentro de você
Você pode
Até tocar o céu se crer

Acredite que nenhum de nós
Já nasceu com jeito
Pra super-herói
Nossos sonhos
A gente é quem constrói

É vencendo os limites
Escalando as fortalezas
Conquistando o impossível
Pela fé

Campeão, vencedor
Deus dá asas, faz teu vôo
Campeão, vencedor
Essa fé que te torna imbatível
Te mostra o teu valor


Tantos recordes
Você pode quebrar
As barreiras
Você pode ultrapassar
E vencer



Aprenda a alcançar sua vitória através da derrota


Em uma competição, para que alguém seja declarado vencedor, obrigatoriamente alguém será declarado perdedor. Mas ninguém quer ser o perdedor.
Nós não gostamos de perder.
Somos criados para a perfeição, para o sucesso e a derrota é vista como motivo de vergonha, desonra, incapacidade, fracasso.
Mas, gostando ou não, a verdade é que em muitas etapas de nossa vida nós seremos derrotados.
E embora a derrota tenha um gosto amargo, perder é necessário.
Primeiramente, é preciso entender que derrota não é sinônimo de fracasso. 
Fracassar é desistir, deixar de perseverar. Portanto, muito embora a derrota possa gerar um fracasso, nem todos os derrotados serão fracassados.
Thomas Edison, falhou 2000 mil vezes antes de ter êxito e conseguir inventar a lâmpada incandescente. Albert Einsten falhou 99 vezes antes de obter êxito.
O que esses homens têm em comum?
Ambos viveram a derrota inúmeras vezes, mas nenhum dos dois se tornou fracassado.

É preciso entender que a derrota é uma etapa da vitória. 

Para que um dia venhamos a nos tornar vencedores é preciso que enfrentemos várias derrotas, pois a derrota nos traz conhecimento, experiência, sabedoria, paciência.
Pode parecer contraditório, mas a verdade é que nos tornamos vitoriosos através da derrota.
É por isso que é tão importante amadurecer e lidar com as próprias perdas. As pessoas de hoje em dia não querem perder. Basta que uma única coisa saia diferente do esperado para que elas fiquem abaladas e pensem em desistir.
Ora, se a derrota é uma etapa indispensável para se alcançar a vitória, as pessoas que se negam a viver a derrota, obviamente também estão se negando a vencer.
Não adianta espernear ou fazer pirraça com Deus. Isso não irá trazer sua vitória.
Sua vitória deverá ser construída por você, tijolinho por tijolinho.
Lembre-se: Deus não nos dá nada maior do que possamos administrar, então se você não adquirir experiência de vida através de suas derrotas, nunca poderá desfrutar das bençãos que foram separadas para você.
Não porque Deus é mau, ou porque Ele esteja te castigando, mas sim porque você não está preparado para lidar com determinadas realidades e situações.
Então, que tal agir com sabedoria e maturidade diante dos revezes que a vida te traz, olhando para as adversidades através dos olhos da fé, a fim de que o conhecimento e a experiência adquiridos venham a se tornar os utensílios que você precisa para desfrutar sua vitória? (Clique aqui para ler o artigo Olhe com os olhos de Deus).
Não se envergonhe de perder, mas sim de desistir e fracassar, sem completar o trajeto. 
Não se importe com quanto tempo levará ou com o que as pessoas irão pensar a seu respeito. Seja determinado e não desista. (Clique aqui para ler o artigo É normal se sentir cansado: aprenda a respeitar suas limitações).
Ainda que você caia inúmeras vezes, o importante é sempre sempre levantar novamente. 
O vídeo abaixo traz o exemplo maravilhoso de um homem que se negou a fracassar e mesmo com todas as adversidades optou por seguir adiante e completar seu objetivo.

É normal se sentir cansado: aprenda a respeitar suas limitações


Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra firmemente em nós e continuemos a correr, sem desanimar, a corrida marcada para nós. Hb 12:1


Todas as manhãs somos convidados a levantar e travar uma grande batalha. Trabalho, maternidade, colégio, enfermidade, processos judiciais... as lutas vão variando de pessoa para pessoa, mas a verdade é uma só: todos nós temos que combater nosso Golias diariamente.
E não é fácil.
Muitas vezes nos sentimos desanimados e sem força. 
Mas, o que as pessoas não entendem é que esse desânimo, esse cansaço são naturais.
Sim, somos humanos e é totalmente normal que sintamos desânimo, tristeza, cansaço, vontade de desistir... 
Não somos o super-homem, não possuímos poderes sobrenaturais e precisamos respeitar nossos limites. Ás vezes precisamos de um tempo para recarregar a bateria, sem que isso seja motivo de crítica ou vergonha.
Mas, infelizmente os nossos maiores críticos somos nós mesmos. 

"O que vão dizer se eu assumir que estou cansado?"
"O que pensarão de mim se souberem que tenho medo?"
"O que eu sou afinal, se não consigo nem fazer isso ou aquilo?"

Perceba que toda essa preocupação é fruto do anseio em manter uma imagem irreal de nós mesmos. E o que se ganha com isso? Qual a vantagem de agir assim?
O status de homem ou mulher de ferro? 

E depois, o que se faz com isso?
Não é necessário pensar muito para entender que não há qualquer vantagem nesse comportamento e nem para antever o resultado dele: estresse, frustração, estafa. 
Certamente não é esse o seu objetivo. Portanto, pare de tentar ser o que você não é, pare de se cobrar além de suas próprias forças para impressionar os outros.
Assuma suas fraquezas, lide com elas, administre-as e siga em frente. (Clique aqui para ler os artigos Seja quem você é e não o que os outros esperam que você seja e Perdoe-se)
Para participar de uma corrida um atleta se prepara meses, anos a fio. E durante a maratona ele não segue de qualquer forma, apenas para impressionar a plateia. 
Há uma técnica a ser seguida, há uma forma correta de correr: com postura, com hidratação. O atleta respeita seu físico, sua constituição, pois sabe que seu corpo é seu instrumento de trabalho e ao desrespeitar seus limites ele boicota a si mesmo.
Perseverar não é sinônimo de autodestruição.
Devemos ser determinados? Sim.
Mas isso não significa seguir adiante a qualquer custo. Há uma forma, uma técnica, um meio correto de seguirmos na maratona da vida, respeitando nossos limites e fraquezas, utilizando-os como nossos auxiliares e não como nossos boicotadores. 
Lembre-se, que em todas as coisas é necessário buscar o meio termo: Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo? Não sejas demasiadamente ímpio, nem sejas tolo; por que morrerias antes do teu tempo? Ec 7:16-17 (Clique aqui para ler o artigo Buscando o equilíbrio vindo de Deus)
Quando Deus nos convida a seguirmos sem desanimar na corrida que foi marcada para nós, Ele pede que deixemos de lado tudo o que nos atrapalha, INCLUSIVE, os excessos e abusos que cometemos contra nós mesmos.
Há um ditado popular que diz que de grão em grão a galinha enche o papo. Pois é, não tenha pressa de alcançar seus objetivos, pois há um tempo certo para todo propósito debaixo do céu.
Correr desesperadamente não irá apressar a chegada das bençãos de Deus em sua vida. Então, viva um dia de cada vez, pois Jesus disse: Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mateus 6:34
Seja determinado, não se envergonhe de seus limites. Ao invés disso, aprenda a respeitá-los e utilizá-los a seu favor.

Alimentando o Espírito: 2 Tessalonicenses 2:2-10


Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto.
Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,
O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.
Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?
E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.
Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora o retém até que do meio seja tirado;
E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira,
E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.
2 Tessalonicenses 2:2-10